Edifico Esperança

Equipe: ANGATU

Localização: Vitória // Brasil

Área: 1686,5 m²

Ano: 2015

Status: Estudo

O edifício é resultado da proposição de uma habitação popular inserida em tecido urbano consolidado. Neste estudo, o edifício possui módulos de habitação que podem ser expandidos de acordo com a evolução das necessidades da família. Dessa maneira, as habitações são capazes de serem utilizadas para gerar renda a partir de usos voltados para comércio e serviço. Na implantação do projeto, buscou-se conectar o entorno ao empreendimento. Dessa forma, os elementos existentes ao redor fazem com que as relações interpessoais sejam potencializadas por conta da praça elevada, da arquibancada gramada e do pequeno bosque, localizado próximo às habitações destinadas a idosos e portadores de necessidades especiais. Tiveram influência sobre a materialidade final do edifício produtos baratos que pudessem ser facilmente trabalhados, como o concreto aparente e o metal. As cores do edifício em tons de verde foram escolhidas pelo seu significado: esperança, equilíbrio, saúde e liberdade. As unidades habitacionais possuem todo o conceito baseado no módulo de moradia capaz de evoluir de acordo com as necessidades do seu usuário/família. O programa de necessidades do projeto inclui no térreo módulos habitacionais destinados a portadores de necessidades especiais e idosos, capazes de serem expandidos em um novo cômodo ou pequeno comércio (como banca de jornal ou loja). Ainda no térreo, módulos destinados apenas a comércio/serviços podem ser unificados. No primeiro pavimento, módulos de um quarto foram pensados para casais sem filhos ou solteiros. Possuem varanda e podem ser utilizados principalmente como escritório. Já no terceiro pavimento existem módulos duplex de apartamentos para famílias maiores e com capacidade de ser expandido em um apartamento com até três quartos. No terraço, duas tipologias de área de lazer permitem a utilização de acordo com o porte do evento. A rampa de acesso aos pavimentos foi pensada não só como circulação, mas também como ponto de encontro e permanência. Misto de concreto e estrutura metálica, a rampa foi localizada na implantação de forma a servir como mirante para a baía de Vitória.